O secretário de Estado de Saúde do Acre, Alysson Bestene, afirmou que o Governo do Estado do Acre tem todas as condições necessárias para administrar situações que exijam cuidados no tratamento de pessoas que eventualmente venham a se contaminar pelo coronavírus (covid-19).

Estado tem todas as condições necessárias para administrar situações que exijam cuidados Foto: Arquivo

“Apesar disso, no Acre não há nenhum caso confirmado da doença”, ressaltou Bestene nesta segunda-feira, 9, em resposta a boatos no final de semana de que dois estrangeiros teriam sido internados no Pronto-Socorro de Rio Branco com sintomas da doença.

“Estamos tratando o momento com todo o profissionalismo e queremos dizer para a população que não tenha medo, que não se deixe levar por fatos que não são verdades”, afirma.

Profissionais foram capacitados para o atendimento de pacientes com suspeita de coronavírus Foto: Arquivo

Em nota divulgada no fim de semana nos aplicativos de conversa pelo celular, a Sesacre afirma que neste momento, “uma centena de profissionais trabalha incessantemente, promovendo treinamentos, organizando protocolos, informando sobre as formas de contágios e os cuidados de prevenção, todos em vigilância para que a população exerça o seu direito de estar bem informada e segura sobre a situação”.

As capacitações, com a adoção de protocolos recomendados pela Organização Mundial da Saúde estão sendo realizadas desde o início de fevereiro.

O que há de verdade neste momento

Nenhum caso de covid-19 foi confirmado no Acre até agora. Os casos suspeitos são duas jovens de 19 e de 20 anos, ambas estudantes de medicina na cidade boliviana de Cobija, na fronteira com Brasileia e Epitaciolândia, e uma profissional de saúde de 35 anos moradora de Cruzeiro do Sul.

Elas estão sendo acompanhadas pelo serviço de atenção básica em saúde de seus municípios, e também pelo Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) da Sesacre, com o apoio de infectologistas.

O material coletado foi enviado ao Laboratório Central de Saúde Pública do Estado do Acre e enviada uma amostra para o Instituto Evandro Chagas, no Pará, que é referência para o estado. Os exames levam dez dias em média para ficarem prontos.

Em Rio Branco, os testes em um homem de 52 anos que esteve na Europa deram negativo. “É preciso deixar claro que no Acre não temos nenhum caso confirmado de coronavírus”, ressalta Glória Nascimento, chefe do DVS.

Nascimento pede para que a população não se deixe levar pelo que classificou de “irresponsabilidade de quem tenta instalar o medo, disseminando áudios sobre fatos que jamais aconteceram”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *