Ir direto para menu de acessibilidade.

Saúde encerra apresentação da nova linha de financiamento da Atenção Primária

por Sesacre | publicado 18 de novembro de 2019 | última modificação 18 de novembro de 2019

A nova linha de financiamento da Atenção Primária é uma medida desenvolvida pelo Ministério da Saúde para que o Sistema Único de Saúde (SUS) chegue a todos os cidadãos brasileiros. A população e os pontos de atenção serão cadastrados na plataforma do e-SUS.

Para deixar os secretários municipais de saúde e responsáveis a par de todos os trâmites e informações acerca desta nova linha de financiamento, a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Departamento de Atenção Primária, Políticas e Programas Estratégicos (Dape), realizou uma oficina nos dias 13 e 14, no Memorial dos Autonomistas do Acre.

A oficina contou com a presença do superintendente do Ministério da Saúde no Acre, Éden Miranda. Segundo ele, é comum que mudanças e novas medidas causem estranheza e que, portanto, se faz necessário capacitar os profissionais dos municípios para lidarem com essa nova maneira de captar recursos.

A oficina contou com a presença do superintendente do Ministério da Saúde no Acre, Éden Miranda Foto: Junior Aguiar

“Os nossos técnicos de Brasília estão indo em todos os municípios fazer a capacitação com os técnicos dos municípios, com os Conselhos de Secretários Municipais (Cosems), para que eles possam realmente entender, para não ficar dúvidas e, assim, possam lidar com esse novo financiamento”, explicou Éden.

O município de Sena Madureira obteve êxito na municipalização da saúde prisional. O secretário municipal da cidade e presidente do Cosems, Daniel Herculano, diz que a equipe de profissionais é de total responsabilidade do município, com exceção, dos medicamentos.

“Nós recebemos o incentivo do Ministério da Saúde, se eu não me engano, de até 26 mil reais por mês para cuidar da saúde básica, aí a média alta é do estado. Foi uma organização do município, junto com a Sesacre e Ministério da Saúde”, destacou Herculano.

Ainda, para Herculano, o novo financiamento da Atenção Primária “é uma forma de reorganizar a rede de atenção à saúde. Então, isso é muito importante, e essas alterações trazem a necessidade de estarmos nos capacitando e buscando o conhecimento da máquina”, enfatizou.

Dificuldades

Segundo a estimativa do último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rodrigues Alves tem uma população de mais de 19 mil habitantes. De acordo o secretário municipal de saúde, Júlio Martins, cerca de 75% dela é localizada na zona rural, o que torna difícil o trabalho dos agentes de saúde para realizar o cadastramento do e-SUS.

“Acredito que essa oficina vai fazer a gente tirar as dúvidas e saber como vai ser esse novo financiamento, saber quais vão ser os desafios que enfrentaremos daqui para frente, e tomara que venha para melhorar o nosso trabalho e a saúde nos municípios”, enfatizou Júlio Martins.