Ir direto para menu de acessibilidade.

Helicóptero do governo e Samu resgatam bebê indígena em aldeia isolada do Acre

por Sesacre | publicado 12 de dezembro de 2019 | última modificação 12 de dezembro de 2019

Um bebê indígena da aldeia Nova Olinda, localizada em uma região de difícil acesso geográfico, às margens do Rio Envira, município de Feijó (360 km de Rio Branco), foi resgatado pelo serviço aeromédico do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), na manhã desta quarta-feira, 11.

A criança, de nove meses de vida, estava com um quadro grave de desidratação e desnutrição severa. Assim que recebeu o chamado do Departamento Indígena do Juruá, às 10 horas, a equipe do Samu, coordenada pelo médico Pedro Pascoal, que responde pelo serviço, foi até o local para fazer o resgate. Foram quase sete horas de missão até o retorno à capital, onde o bebê foi levado direto ao Pronto-Socorro de Rio Branco.

“Assim que chegamos ao local, imediatamente fiz uma avaliação minuciosa na criança, onde foi constatado o quadro de desnutrição severa com desidratação grave. Após o suporte inicial, o bebê foi colocado dentro da aeronave e transportado até Rio Branco com segurança”, destaca Pascoal.

O helicóptero do governo trabalha em parceria com o Samu fazendo ações de urgência e salvando vidas em todo o estado desde março deste ano, graças a um convênio que assegurou a continuidade do serviço de resgate e transporte aéreo entre o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) e Samu – uma determinação do governador Gladson Cameli -, que disponibilizou a aeronave para o suporte aéreo de pacientes em situações graves de um município para outro.

A parceria não só tem salvado vidas como tem reduzido os custos com fretamento aéreo no orçamento da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) para situações emergenciais de atendimento à população acreana.

Estado realiza capacitação para servidores na semana de luta contra a Aids

por Sesacre | publicado | última modificação 12 de dezembro de 2019

Na continuidade das ações em alusão ao Dia Mundial de Luta Contra a Aids, lembrado no dia 1º de dezembro, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), que vem realizando várias atividades no decorrer da semana, iniciou esta semana a Oficina de Capacitação em Profilaxia Pós-Exposição e Profilaxia Pré-Exposição ao Vírus HIV.

O evento, que acontece durante todo o dia, no auditório da Secretaria da Fazenda (Sefaz), conta com a parceria do Ministério da Saúde (MS), que enviou técnicos da área para reforçar as atividades de capacitação junto aos profissionais que atuam no combate ao HIV/Aids no estado. A atividade é voltada para médicos, enfermeiros, farmacêuticos e assistentes sociais de todas as regionais de saúde do Acre.

“Estamos dando continuidade à agenda da semana de luta contra a Aids, a nível de gestão, para que em parceria façamos todas as atividades que estão preconizadas no calendário do Ministério da Saúde em alusão ao Dia Mundial de Luta Contra a Aids. Essa é a primeira oficina de muitas que ainda vão vir. A ideia é a gente fazer com que a oferta da PrEP, que é a profilaxia pré-exposição ao HIV, seja ofertada em todos os municípios. No Brasil, o Acre é o único estado que ainda não oferta a PrEP HIV”, observa Suilany Souza, da área técnica DST/HIV/Hepatites da Sesacre.

Ainda de acordo com a técnica da área de DST/HIV da Sesacre, a atual gestão já busca, junto ao Ministério da Saúde, ofertar a profilaxia pré-exposição ao HIV, um novo método de prevenção à infecção pelo HIV que impede que o vírus causador da aids infecte o organismo, antes mesmo da pessoa ter contato com o vírus.

“Recebemos o chamado do MS, que entende que essa dívida com a PrEP é da gestão anterior, que deveria ter implantado a profilaxia no estado. Enfim, não importa o que aconteceu para trás, importa é o que temos que fazer daqui para frente, correndo contra o tempo porque temos metas pactuadas com o Brasil, metas pactuadas com o mundo e nós, estados, temos metas pactuadas com o Distrito Federal. O Acre, nessas metas de oferta de profilaxia e prevenção, é o único que ainda não oferta a PrEP. Porém, já estamos correndo para reverter esse quadro, sabendo que temos muito trabalho pela frente não só com a PrEP, mas com outras ações que deveriam ter sido implantadas e não foram, a exemplo do Plano Amazônico, que não aconteceu, e a descentralização dos medicamentos de hepatite, que ainda precisa ser trabalhada”, pontua.

De acordo com dados da Saúde, no período de 2014 a 2017, houve um crescimento de mais de 29% no coeficiente de mortalidade no Acre, que passou de 2,7 para 3,5 óbitos por 100 mil habitantes. Já em relação aos casos, desde o ano de 2014, observa-se redução da taxa de detecção de aids no estado. Eram 9,1 casos por cada 100 mil habitantes, em 2014, e, em 2017, são 8,8 para cada 100 mil habitantes, o que representa uma redução de 3,2%.

Atualmente tem ocorrido um crescimento proporcional do número de casos de HIV na população do sexo masculino.  No estado do Acre, a razão está três casos em homens para cada um em mulheres. A faixa etária em que a aids é mais incidente, em ambos os sexos, é de 25 a 49 anos de idade. Chama a atenção a análise da razão de sexos em jovens de 13 a 19 anos. Essa é a única faixa etária em que o número de casos de aids é maior entre as mulheres.

Na Semana de Luta Contra a Aids, que vem sendo realizada desde o dia 28 de novembro, os serviços de saúde vem alertando a comunidade sobre a importância do uso do preservativo e incentivando que os adultos façam o teste rápido, por meio da campanha de mobilização local.

Pró-Saúde: Projeto só será enviado à Aleac após análise das propostas pelo MPAC e MPT

por Sesacre | publicado | última modificação 12 de dezembro de 2019

Governador Gladson Cameli e o secretário Alysson Bestene buscam o diálogo com os sindicatos e as instituições públicas

O secretário de Saúde, Alysson Bestene, afirmou nesta quarta-feira, 11, que o projeto que cria o Instituto de Gestão de Saúde do Acre (Igesac) só será enviado à Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac) após a Procuradoria Geral do Estado (PGE) e os Ministérios Públicos Estadual (MPAC) e do Trabalho (MPT) avaliarem as propostas de mudanças. Os representantes desses órgãos já se reuniram para analisarem juridicamente as alterações.

Por isso, segundo Bestene, o rito pode levar a criação do Igesac para o início do ano legislativo da Aleac, em 2020. “Se ainda não for possível a avaliação e a aprovação pela Aleac ainda este ano, vamos enviar o projeto somente no início da próxima legislatura”, explica o secretário de Saúde.

Secretário de Estado de Saúde, Alysson Bestene, em participação recente em programa de rádio na Aldeia FM: “Governo está aberto ao diálogo e espera avaliação de órgãos competentes” Foto: Junior Aguiar/Secom

Nós sempre defendemos o diálogo, e vamos continuar agindo assim, com o governador Gladson Cameli sempre aberto para dialogar com todos os sindicatos. Portanto, vamos buscar um consenso, porque o que precisamos é pensar no melhor para os servidores do Pró-Saúde e para nossa população”, completou Alysson Bestene.

O titular da pasta da Saúde destacou que em momento algum foram feitas imposições por parte do governo do estado. “Prova disso é que convidamos os sindicatos para conversar. Esse projeto não deu entrada na Aleac porque estamos dialogando com o Ministério Público Estadual, com o Ministério Público do Trabalho e com os sindicatos. O governador Gladson Cameli quer resolver a situação dos trabalhadores e melhorar o atendimento oferecido à nossa população, e, tenho certeza que com humildade e diálogo vamos vencer os obstáculos e oferecer uma Saúde melhor para as famílias acreanas”, pontuou.

A pedido do governador Gladson Cameli, representantes da Procuradoria Geral do Estado, Ministério Público do Trabalho, Ministério Público Estadual e da Secretaria de Saúde se reuniram para analisar as mudanças.

Assim, o envio da matéria para a Aleac fica condicionado a análise jurídica das propostas e na busca de um consenso com os sindicatos.

Saúde realiza 1º Encontro Estadual de Saúde Bucal

por Sesacre | publicado | última modificação 12 de dezembro de 2019

Pela primeira vez na história, odontólogos do estado se reúnem para discutir melhorias de ações já existentes e a implantação de novas no 1º Encontro Estadual de Saúde Bucal, nesta quarta-feira, 11. O evento foi promovido pela Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Departamento de Ações e Planejamento Estratégico (Dape).

O encontro é uma parceria entre Sesacre, Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems) e Núcleo Estadual do Ministério da Saúde (Nems) e ocorre nos dias 11 e 12 de dezembro. 

O evento está proporcionando a integração entre os odontólogos do estado e demonstra o empenho da Sesacre em promover cada vez mais uma saúde de qualidade, olhando todos os pontos de atenção, disse o médico Ribamar Costa que esteve presente, representando o secretário de estado de saúde. 

“É uma ação, um interesse do secretário de saúde, o doutor Alysson, em promover e dar um foco sobre a saúde bucal do Estado do Acre. Nós sabemos que o paciente do SUS deve ser tratado integralmente, e a gente não pode ver só a parte médica, a gente tem que ver a saúde odontológica”, enfatizou Ribamar. 

Não é um questão apenas estética, a saúde bucal pode trazer prejuízos para a fala e mastigação, por exemplo. Assim, o encontro entre os coordenadores municipais traz um norte para traçar novas estratégias, diz o gerente da Divisão de Saúde Bucal, João Leite. 

“Neste evento estamos repassando os novos desafios estabelecidos pelo Ministério da Saúde e o planejamento proposto pela Divisão de Saúde Bucal da Sesacre, além dos desafios de reestruturação das unidades de média e alta complexidade”, disse o gerente da Divisão de Saúde Bucal, João Leite. 

O atendimento de média complexidade é realizado em Hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (Upas). A alta complexidade são as urgências, no Pronto Socorro, por exemplo. Desta forma, as discussões também se dão sobre a implementação e credenciamento de três Centros de Especialidades Odontológicas: em Rio Branco, Brasiléia e Cruzeiro do Sul. 

Participaram do encontro odontólogos e profissionais de sistema de informações dos municípios. Foto: Junior Aguiar

Capacitação 

É necessário capacitar, instruir e munir o profissional da atenção primária para saber lidar com as ferramentas necessárias para conseguir um bom desempenho e mais recursos para a área. Assim, além dos coordenadores municipais de saúde bucal, estiveram presentes profissionais do Sistema de Informação, como explica o chefe do Dape, Luiz Marinho.

“É quando podemos juntar o profissional odontólogo da atenção primária, na média e alta complexidade, e, o sistema de informação, que faz a inserção correta  desses dados a nível de ministério”, explicou o chefe do Dape, Luiz Marinho. 

Um dos palestrantes, o apoiador técnico da Coordenação Geral de Saúde do Ministério da Saúde, Renato Taqueo, conta que eventos como esse são oportunidades para o esclarecimento de possíveis dúvidas. 

“É uma apresentação voltada às dúvidas que a gente recebe  no ministério. Nesse tipo de agenda a gente sempre traz o passo a passo do que o gestor deve acompanhar e realizar no seu dia a dia. Também, a gente contextualiza o Estado dentro do cenário nacional, por exemplo, situando o Acre com relação ao cenário de saúde bucal nacional”, o apoiador técnico da Coordenação Geral de Saúde do Ministério da Saúde Renato Taqueo. 

Atenção Primária

Segundo o chefe do Dape, Luiz Marinho é necessário realizar o serviço e também inseri-lo dentro do sistema. Ainda, é preciso fazer com que a política de saúde bucal, no âmbito municipal e estadual, seja inserida na estratégia de saúde da família. 

“Muito se fala em saúde bucal e pouco se fala na promoção e prevenção,  isso é uma das coisas que o departamento de atenção primária está batendo na tecla. Elas têm que estar sempre no contexto geral do SUS”, enfatizou o chefe do Dape, Luiz Marinho. 

Pré-natal Odontológico 

Um dos pontos a ser discutido como inovação na linha de saúde bucal é sobre o Pré-natal odontológico, que consiste no acompanhamento da mãe enquanto grávida para que se incentive a cultura de cuidar da boquinha da criança desde o nascimento. 

“Nós estamos trabalhando o Pré-natal Odontológico em duas frentes: ele está dentro do financiamento como um indicador de desempenho, então ele vai ser monitorado com a finalidade de pagamento, do desempenho das equipes, e, também, estamos trabalhando na minuta de um programa”, salientou a analista técnica de políticas sociais da Coordenação Geral de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Mariana Tunala.  

Ainda, segundo a analista técnica de políticas sociais da Coordenação Geral de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Mariana Tunala , o programa estimula e qualifica as ações. “Na verdade, qual a atribuição de cada um nesse atendimento odontológico à gestante, de Estado, Município e União, que é investir em ações de comunicação e educação permanente”, finalizou.

“Nossa intenção é regularizar a situação dos servidores”, diz Alysson Bestene

por Sesacre | publicado 11 de dezembro de 2019 | última modificação 11 de dezembro de 2019

Secretário explica que novo Igesac substitui legalmente a entidade anterior. Saiba agora o que é falso e o que é verdadeiro quanto ao tema

O Governo do Estado do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde do Acre, garantiu de uma vez por todas uma solução para que os servidores do Pró-Saúde não sejam demitidos e continuem prestando seus serviços, considerados inestimáveis pelo governador Gladson Cameli.

Apesar dos diversos boatos que circulam de que demissões estariam por vir e de que haveria um suposto plano para terceirizar a Saúde, entre outras mentiras que só tentam causar clima de instabilidade entre os profissionais, o secretário titular da pasta, Alysson Bestene, saiu em defesa dos 1.056 funcionários do Pró-Saúde e refirmou: “Nossa intenção é regularizar a situação dos servidores e melhorar o atendimento à população”.

Alysson Bestene, saiu em defesa dos 1.056 funcionários do Pró-Saúde Foto: Arquivo Secom

“Ainda em fevereiro, quando estávamos há apenas um mês de gestão do governador Gladson Cameli, sentamos com o Ministério Público do Trabalho com a missão de sensibilizar a instituição da situação de calamidade enfrentada pelo setor”, relembra Bestene.

E hoje, o problema foi corrigido com a criação do Instituto de Gestão de Saúde do Acre, o Igesac. “O que queremos dizer a todos os servidores é que fiquem tranquilos porque encontramos uma solução para que ninguém seja prejudicado, por meio do instituto recém-criado”, tranquiliza o secretário de Saúde.

De acordo com a alteração da legislação existente, os funcionários do Pró-Saúde passam a fazer parte do Igesac, que tem como característica a condição de ser um serviço social autônomo, sem fins lucrativos, de interesse coletivo e de utilidade pública.

O Igesac tem ainda autonomia gerencial, patrimonial, orçamentária e financeira, com quadro de pessoal próprio e prazo de duração indeterminado. Seguindo a Lei de Transparência, o instituto terá um portal contendo toda sua movimentação financeira, bem como os salários de seus servidores.

Saiba o que é mentira e o que é verdade sobre o Igesac no quadro abaixo:

Entenda o que é fake e o que é verdade

FALSO: Os trabalhadores do Pró-Saúde vão perder direitos trabalhistas.

VERDADEIRO: O projeto de alteração da lei já constituída não retira nenhum direito dos trabalhadores.

FALSO: A Saúde será terceirizada.

VERDADEIRO: Não há terceirização da Saúde. O Pró-Saúde refere-se a uma lei criada em 2008, exatamente para auxiliar a Saúde. O que o Governo busca é uma solução legal de um problema que se arrasta há 11 anos. Bom salientar que a Sesacre já terceiriza diversos serviços com várias empresas, tornando essa alegação de “terceirização” sem sentido.

FALSO: Haverá jornada de trabalho exaustiva.

VERDADEIRO: A alteração na lei prevê 40 horas semanais. A Consolidação das Leis de trabalho (CLT) permite até 44 horas semanais. Ou seja, os servidores terão uma jornada inferior à que a lei permite.

FALSO: Não haverá mais concursos públicos.

VERDADEIRO: Concursos públicos são previstos na Constituição de 1988, não podendo serem extintos por uma lei estadual.

FALSO: Os sonhos de benefícios dos trabalhadores serão extintos.

VERDADEIRO: A alteração proposta na lei não vai tocar nos direitos adquiridos dos servidores.

FALSO: Irão entregar os prédios para o instituto.

VERDADEIRO: Todo o patrimônio da Secretaria de Saúde do Estado do Acre (Sesacre), cedido ao Igesac durante o contrato, continuará pertencendo à Sesacre. E os bens adquiridos pelo instituto serão incorporados ao patrimônio do estado com o encerramento do contrato.

FALSO: O Governo vai contratar direto pelo instituto.

VERDADEIRO: O Instituto de Gestão de Saúde do Acre (Igesac) poderá contratar apenas para a unidade que estiver gerenciando, e mesmo assim, para contratar, vai precisar fazer processo seletivo com transparência e publicidade.

FALSO: O Governo vai ceder trabalhadores do quadro da Sesacre.

VERDADEIRO: Essa cessão só é possível, desde que o servidor tenha interesse. E não é obrigatória. O instituto também não poderá ceder empregado para a Sesacre.

AS VANTAGENS

– O Tribunal Superior do Trabalho já reconheceu a legalidade da modalidade (veja mais em N TST- ARR – 1006045.2014.5.14.0416)
– O Igesac não tem finalidade lucrativa.
– É criado pelo Estado.
– Vai prestar serviços gratuitos.
– Já funciona com sucesso em outras regiões como o Distrito Federal.

UPA de Cruzeiro do Sul oferece eletrocardiograma à população

por Sesacre | publicado 10 de dezembro de 2019 | última modificação 10 de dezembro de 2019

O telediagnóstico é realizado por uma equipe de 14 médicos, em Minas Gerais

Com a implantação da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Cruzeiro do Sul, a população pode contar com mais uma unidade de assistência à saúde. Com o objetivo de melhorar ainda mais o atendimento aos moradores da região do Juruá, o Governo do Estado do Acre por meio da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), na semana passada, implantou uma máquina de eletrocardiograma, com o serviço de telediagnóstico. 

Anteriormente o serviço não era oferecido nas unidades do Estado, e a população do Juruá podia contar apenas com uma máquina de eletrocardiograma, em uma unidade municipal, de Cruzeiro do Sul. Assim, a preocupação do governo do Acre e da Sesacre em oferecer saúde de qualidade resultou em mais essa facilidade ao cidadão. 

As imagens são enviadas de imediato à equipe de médicos, em Minas Gerais Foto: Cedida

“A partir de agora a UPA passa a oferecer exames de eletrocardiograma laudados por especialistas. E como funciona? Os pacientes classificados como urgentes farão o exame de eletrocardiograma e esse exame será enviado imediatamente a um grupo de cardiologistas contratados pelo Ministério da Saúde, que ficam de plantão 24h no estado de Minas Gerais”, explicou o coordenador regional de saúde, Roberto Holanda. 

Através do Telessaúde, do Ministério de Saúde (MS), as imagens são enviadas de imediato aos profissionais, em Minas Gerais, avaliadas e redirecionadas à unidade em Cruzeiro do Sul com o laudo médico, tornando o atendimento rápido e garantindo segurança ao paciente. 

“Os referidos especialistas serão os responsáveis por analisarem e emitirem parecer sobre o paciente através do laudo médico. Tudo isso acontece em curto espaço de tempo. Em poucos minutos, os médicos da unidade saberão se o paciente necessita, ou não, de maiores cuidados em relação ao coração”, acrescentou Roberto. 

Rapidez no diagnóstico

Gledson Souza relata que já havia realizado o eletrocardiograma outras vezes, mas em clínicas particulares e, que mesmo assim, tinha que aguardar cerca de 24h para receber o diagnóstico.

“O que me impressionou é que é rápido o resultado. Foi só o tempo de eu levantar da maca, cerca de 30 segundos, e já chegou a notificação, informando que o laudo já estava pronto”, contou Gledson.

O paciente diz ainda que apesar da rapidez o resultado é seguro e de qualidade, tendo em vista, que ele estava realizando por rotina, devido ele já ter um problema cardíaco.

“É algo que vem beneficiar a quem precisa desse atendimento. E assim: foi rápido. É de boa qualidade? Sim, pois eu já tenho um distúrbio e o laudo reafirmou que eu tenho esse problema. Então não é qualquer laudo”, enfatizou, Gledson Souza.

Diagnóstico é obtido em cerca de 1 minuto Foto: Cedida

Desde a instalação da máquina já foram realizados 7 exames. A equipe da unidade está em fase de cadastramento para que mais profissionais possam utilizar o equipamento e tornar ágil o serviço. Técnicos e enfermeiros foram treinados por uma equipe do Telessaúde de Rio Branco. 

Fundação Hospitalar do Acre comemora 40 anos de prestação de serviços

por Sesacre | publicado | última modificação 10 de dezembro de 2019

No próximo dia 19 de dezembro, a Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre) celebra, juntamente com os colaborados internos, a criação da instituição, com um modelo de atendimento semelhante ao atual. A estrutura da unidade é de aproximadamente 106.293,89 m². Foi o primeiro passo para a efetivação dos serviços prestados à comunidade acreana, que veio a se concretizar no ano de 1991.

No mês de setembro, registrou o total de 4.179 atendimentos com cerca de 42 médicos, dentre eles cardiologia, endocrinologia, oftalmologia e ortopedia Fotos: Cedida

A Lei nº 930, assinada pelo então governador Flaviano Flávio Baptista de Melo, hoje, deputado federal do Acre, previu a fundação composta por um Conselho Consultivo, um Conselho Deliberativo e uma Superintendência, além de órgãos internos como as Diretorias Clínica, Financeira, Administrativa e do Centro de Medicina Tropical.

Gerentes, enfermeiros, médicos, técnicos e demais profissionais recordam alguns fatos da história da fundação hospitalar. Servidores do núcleo ambulatorial relataram algumas experiências sobre o surgimento e a dinâmica de funcionamento da Fundhacre. Os legados dessa obra estão presentes na rotina da capital rio-branquense, onde se proporciona a assistência médica-hospitalar, diariamente, com consultas, atendimentos especializados, exames, cirurgias e internações.

Nas consultas, o Serviço de Arquivo Médico e Estatística (Same) coordenou, de janeiro a setembro, um total de 109.194 consultas executadas em 2019. O serviço de atendimento especializado, no mês de setembro, registrou o total de 4.179 atendimentos com cerca de 42 médicos, dentre eles cardiologia, endocrinologia, oftalmologia e ortopedia.

Segundo dados estatísticos da Central de Agendamento de Cirurgias (CAC), o registro de cadastros de abril a outubro, em relação às especialidades de ginecologia, oftalmologia, urologia e cirurgia geral, somaram 3.635 atendimentos. Além disso, há outras 17 especialidades que estão cadastradas na central.

No que tange ao centro cirúrgico, somente nos meses de setembro e outubro houve 302 procedimentos respectivamente. O que demonstra a importância das intervenções cirúrgicas para os pacientes que precisam de melhoria na qualidade de vida.

Heloísa Távora relembra os 28 anos de serviços prestados na instituição. A servidora relatou que, em julho de 1991, o sistema de funcionamento no setor ambulatorial era feito por fichas, isto é, todo o sistema era manual. “Naquele tempo a Fundação tinha poucas especialidades”. Agora, em 2019, ela exerce a função de arquivista no Departamento de Nefrologia.

Presidente da Fundação, Lauro Melo, mostra o valor da instituição, presente na prestação da assistência Fotos: Cedidas

O presidente da Fundação, Lauro Melo, mostra o valor da instituição, presente na prestação da assistência: “A fundação acompanha a modernização da medicina. Novos projetos são efetivados para a aquisição de equipamentos, que possam oferecer diagnósticos mais precisos e procedimentos cirúrgicos menos invasivos, o que traz menor risco de intercorrências e menor tempo de recuperação pós-cirúrgica. Além disso, por meio de parcerias, a fundação oferece suas estruturas para os estágios e residências de centenas de profissionais, cooperando com a evolução da saúde no estado do Acre”.

Assim, ao longo dos 40 anos de sua criação, a Fundhacre dinamizou e continuará no processo de modernização dos processos na instituição, bem como, a abrangência de especialidades e capacitação de recursos humanos. Portanto, a contribuição com o bem-estar social é uma missão que os profissionais deste órgão vislumbram e investem, a fim de um futuro promissor na saúde pública, tendo em vista a responsabilidade e o compromisso.


Saúde promove atividade de humanização no Pronto Socorro

por Sesacre | publicado 5 de dezembro de 2019 | última modificação 5 de dezembro de 2019

Participaram da atividade profissionais e acompanhantes dos pacientes hospitalizados.

O objetivo da Secretaria de Estado de Saúde do Acre é a promoção de um ambiente humanizado para melhores condições de trabalho dos funcionários. Desta maneira, na última terça-feira, 3, os servidores e acompanhantes dos pacientes do Pronto Socorro, em Rio Branco, foram contemplados com práticas integrativas, administradas pela enfermeira Maria de Jesus. 

“A prática integrativa vem para diminuir essa somatória de medicamentos. Por exemplo, com o uso das práticas integrativas, o paciente reduz a carga medicamentosa em 50%. Lembrando que elas não dispensam o tratamento convencional. Ela funciona como uma somatória”, frisou a enfermeira Maria de Jesus.

Servidores e acompanhantes dos pacientes do Pronto Socorro, em Rio Branco, foram contemplados com práticas integrativas Foto: Cedida

A prática consiste em técnicas como auriculoterapia, agulhamento a seco, acupuntura, cone chinês, ventosa, quiropraxia e osteopatia que, segundo Maria de Jesus, diminuem o uso de medicamentos. 

“Eu pude estar oferecendo para o servidor uma prática que funciona como uma prevenção natural, não só a prevenção, como, também, a cura de sintomas crônicos e patológicos e, assim, sem processo medicamentoso”, explicou Maria de Jesus. 

Para a chefe do setor de humanização da Secretaria de Saúde, Francinete Barros, a promoção dessas atividades “são válidas para somar a todos os instrumentos que nós temos para cuidar de quem cuida, fortalecendo o nosso trabalhador para cuidar de quem está chegando, principalmente com a humanização”.

A atividade foi uma parceria entre Sesacre, Nast, NEP, Instituto Kogen e Unimeta.

Saúde recebe 4 milhões de reais para investimento na humanização

por Sesacre | publicado 4 de dezembro de 2019 | última modificação 4 de dezembro de 2019

O recurso será aplicado em 2020. Recurso é fruto de investimento da senadora Mailza Gomes

Uma das prioridades do governo do Acre é a de fazer a Saúde do Estado caminhar com qualidade e humanização. Assim, com o esforço dos profissionais em visitar os municípios, fazer o levantamento das necessidades do setor e apresentá-las aos parlamentares, a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), recebeu recentemente 4 milhões de reais para a humanização. 

“A prioridade da humanização está para o acolhimento, a ambiência das enfermarias como roupas e lençóis. A ideia é trabalhar com os servidores que são do acolhimento. Também, vamos investir em capacitações para promover um atendimento melhor e humanizado. Isso são as prioridades do projeto de humanização”, frisou a chefe do setor de humanização, Francinete Barros.

Além destes 4 milhões, a senadora Mailza Gomes ainda destinou mais recursos que serão utilizados para reformas de hospitais, aquisição de veículos para o Tratamento Fora de Domicílio (TFD) e custeio de material de consumo.  

“Eu tenho consciência da importância que isso tem, da necessidade que existe e da diferença que isso faz na vida do servidor da Saúde que é trabalhar em um ambiente organizado e, também, na vida do cidadão que procura o serviço público de saúde”, disse a senadora Mailza Gomes. 

Além destes 4 milhões, a senadora Mailza Gomes ainda destinou mais recursos que serão utilizados para reformas de hospitais, aquisição de veículos para o Tratamento Fora de Domicílio (TFD) e custeio de material de consumo Foto: Cedida

A humanização no ambiente de trabalho é uma mudança cada vez mais presente nos órgãos e gestões com visão de futuro. Dessa forma, a Sesacre busca cada vez mais trabalhar para capacitar os profissionais para que esses possam desenvolver melhor a função de assistência aos municípios.

Capacitar, treinar, dialogar, compreender e promover mudanças são objetivos do Governo do Acre e da gestão da Sesacre para a saúde. Assim, o objetivo é promover um serviço humanizado. Serão contempladas unidades em Acrelândia, Assis Brasil, Brasileia, Cruzeiro do Sul, Feijó, Jordão, Mâncio Lima, Manoel Urbano, Marechal Thaumaturgo, Plácido de Castro, Porto Walter, Rio Branco, Rodrigues Alves, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira, Senador Guiomard, Tarauacá e Xapuri.

Saúde faz campanha para nova rotulagem nutricional de alimentos

por Sesacre | publicado 3 de dezembro de 2019 | última modificação 3 de dezembro de 2019

Os interessados em aderir à nova rotulagem nutricional de alimentos devem preencher o formulário de consulta pública no site: https://direitodesaber.org/. A consulta estará disponível até o dia  9 de dezembro

(Foto: Junior Aguiar/Sesacre)

Você sabe o que come? A maioria da população habitualmente pega o produto na prateleira e não lê o rótulo sobre as informações nutricionais do alimento. Assim, a equipe de nutrição da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) está realizando uma mobilização para que a população participe da consulta pública e abrace o novo modelo de rotulagem nutricional. 

“Hoje a gente vive uma transição nutricional, na qual aumentou o excesso de peso entre os brasileiros, 55%, ou seja, mais da metade dos brasileiros estão com sobrepeso e alto consumo de alimentos autoprocessados que são os alimentos os quais queremos mudar o rótulo”, explicou a nutricionista e técnica da Divisão e Alimentação da Sesacre,  Madeline Guimarães. 

(Foto: Junior Aguiar/Sesacre)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária lançou a consulta pública para que a população manifeste interesse em aderir a proposta da Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável e o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor para implantar o rótulo frontal, indicando a maior quantidade de substância contida no produto, por meio de triângulos aparentes. 

“Assim que a gente implanta o rótulo frontal e que a pessoa vê aquele alimento, ela já tem um impacto sobre o que aquele alimento tem. Então, aquele consumidor vai ter a oportunidade de conhecer fio a fio o que tem naquele alimento e, assim, comparar um alimento com o outro e decidir o que será mais saudável”, explicou Madeline. 

Atualmente, de acordo com a técnica, as informações nutricionais contidas nos rótulos dos alimentos são confusas e em letras miúdas, diminuindo o interesse do consumidor em saber o que está ingerido.

“É impossível de ler, principalmente uma pessoa que tem uma dificuldade de leitura, então é muito complicado a pessoa olhar e compreender o rótulo se ele não estiver claro. Se você pegar um produto integral, por exemplo, e consultar o rótulo verá que o primeiro ingrediente – que é o que mais está presente no alimento – geralmente é o açúcar e o consumidor vai perceber que o produto não é tão saudável assim”, salientou Madeline. 

A proposta, segundo Madeline, é “uma melhor compreensão dos alimentos que você consome e que está ofertando para sua família, sabendo que o quadro hoje é de sobrepeso e a tendência é o aumento desse quadro cada vez mais”, finalizou. 

Foto: Junior Aguiar/Sesacre