Ir direto para menu de acessibilidade.

Saúde realiza oficina sobre a nova linha de financiamento da Atenção Primária

por Sesacre | publicado 14 de novembro de 2019 | última modificação 14 de novembro de 2019

Programação também terá palestras e debates sobre cobertura vacinal, sarampo e hipertensão

A nova linha de financiamento da Atenção Primária é uma medida proposta pelo Ministério da Saúde, objetivando a eficaz distribuição dos recursos para a saúde dos municípios. O modelo leva em conta o número de pacientes cadastrados nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e, também, o desempenho delas a partir de indicadores como pré-natal, controle do diabetes e hipertensão. 

A medida gera mudanças e os gestores e profissionais da saúde devem estar preparados para trabalhar com essa nova maneira de captar recursos. Pensando nisso, a Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Departamento de Atenção Primária, Políticas e Programas Estratégicos (Dape), realiza, nos dias 13 e 14, uma oficina que tem como meta instruir os secretários de saúde e responsáveis da área de todos os municípios do estado. 

De cada município participará um secretário de saúde, um ordenador de despesa, um coordenador de atenção básica, um coordenador de vigilância em saúde e um coordenador de informação Foto: Cedida

“Essa nova linha de financiamento vai trazer mudanças e a gente tem de estar preparado para ela. O Ministério da Saúde está enviando um técnico do gabinete do secretário de atenção básica do ministério, capacitado para responder as questões”, disse Luiz Marinho, chefe do Dape. 

A oficina é uma parceria entre Sesacre, Ministério da Saúde e Conselho de Secretários Municipais (Cosems) para possibilitar a capacitação dos gestores municipais de saúde do estado. 

De cada município participará um secretário de saúde, um ordenador de despesa, um coordenador de atenção básica, um coordenador de vigilância em saúde e um coordenador de informação.

O chefe do Dape, Luiz Marinho, explica que a mudança é positiva, pois municípios interioranos e que têm toda a cobertura pelo Sistema Único de Saúde (SUS) terão mais recursos para investir e proporcionar um atendimento a todos os munícipes. 

“É um modo de não cometer injustiça. Por exemplo: um município que tem 100 mil habitantes e metade dele é privado acaba recebendo por essa população que não usa o SUS. Um município como Sena Madureira ou Capixaba, que tem 100% de cobertura pelo SUS, acaba recebendo, dessa maneira, pouco recurso”, explicou Luiz. 

Outra mudança traçada pelo novo plano é referente ao cumprimento dos objetivos dos indicadores de saúde. Assim, o recurso desses indicadores só será obtido se atingirem a meta.  

“O Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica vai durar somente até o ano que vem. Depois disso, somente alguns indicadores que forem atingidos irão receber recurso.  Atingiu o método indicador, recebe o recurso, não atingiu, não recebe”, finalizou Luiz. 

UPA de Cruzeiro do Sul inicia atendimento à população do Juruá

por Sesacre | publicado | última modificação 14 de novembro de 2019

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cruzeiro do Sul, projetada para atender diariamente em torno de 200 pessoas e realizar cerca de 6 mil atendimentos por mês, iniciou na tarde desta segunda-feira, 11, os primeiros atendimentos à população. Até o meio dia desta terça-feira, 12, oito pacientes já haviam sido atendidos na unidade.

De acordo com o coordenador Regional de Saúde do Vale do Juruá, Roberto Holanda, inicialmente, os atendimentos serão direcionados apenas a pacientes referenciados de outras unidades de saúde da região e também por encaminhamento do Serviço Móvel de Urgência (Samu). Por turno, dividido em 12 horas, cada, a Upa conta com quatro enfermeiros, 10 técnicos de enfermagem, além de dois médicos plantonistas e o apoio administrativo.

De acordo com o coordenador Regional de Saúde do Vale do Juruá, Roberto Holanda, inicialmente, os atendimentos serão direcionados apenas a pacientes referenciados de outras unidades de saúde da região Fotos: Cedidas

“Os atendimentos iniciaram na tarde desta segunda-feira, inicialmente será feito apenas com pacientes referenciados de outras unidades e Samu. Isso até a entrega oficialmente, o que deve acontecer nos próximos dias pelo governador Gladson Cameli, que inclusive está chegando hoje ao município para acompanhar os últimos detalhes para a inauguração”, destaca.

Com mais de 2,2 mil metros quadrados, 22 leitos separados para homens, mulheres e crianças, além das salas de observação individual e de urgência, a Upa de Cruzeiro do Sul é a maior do Acre em termos de estrutura e será uma segunda porta de urgência e emergência para cerca de 230 mil pessoas –, população que compõe os oito municípios do Vale do Juruá.

“Um ganho à população que tem agora uma segunda porta de urgência e emergência na região, além de descentralizar o atendimento do Hospital do Juruá, diminuindo assim a demanda e o tempo de espera. Maior Upa do estado em termos de estrutura e capacidade de atendimento, a unidade tem capacidade de atender até três procedimentos emergenciais ao mesmo tempo”, observa Holanda.

Prevista para ser entregue funcionando, pela administração estadual passada, a UPA foi deixada inacabada, faltando rebocos, pisos e as instalações de portas e tampas do serviço de esgotamento sanitário.

Demandada como prioridade pelo governador Gladson Cameli já no início da gestão, a conclusão da obra e entrega oficial da Upa com todas as suas funcionalidades em condições de excelência para os cidadãos ocorre no próximo dia 18, pelo governador do Acre. Oportunidade que também deve estar presente o ministro de Justiça, Sergio Moro.

Quando estiver funcionando em sua totalidade, a unidade vai atender, além de Cruzeiro do Sul, a população dos municípios que compõem o Vale do Juruá, no Acre, e de Guajará, no Amazonas, alcançando mais de 120 mil pessoas, segundo estimativa da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre).

Notícias

por Sesacre | publicado 16 de outubro de 2019 | última modificação 5 de novembro de 2019

Notícias da Secretaria de Estado da Saúde